Sagrada Família exemplo de comunhão de amor

O que entendemos pelo ideal da família de Nazaré? Ao falar do ideal da família de Nazaré evidenciamos conscientemente alguns aspectos adequados a nós. O ideal sob três aspectos e é bom aprofunda-los frequentemente:

  • Primeiro: A família de Nazaré seguiu a ordem do ser objetiva. 
  • Segundo: Estava unida pelo laço do amor.
  • Terceiro: Concentrava-se totalmente no filho.

Apresentamos Nazaré como modelo sob este tríplice ponto de vista.

O primeiro ponto: seguindo a ordem do ser. Como é a ordem do ser objetiva? Segundo ela, o pai é a cabeça da família. Recordem o que dissemos sobre o principio paternal. São coisas importantes para nós hoje, sobretudo na América, onde a mãe está tão visivelmente em primeiro plano que o pai quase não aparece. Aqui, o pai parece ser apenas o provedor do pão e é a mãe que tem o cetro em mãos na familia. Em Nazaré não era assim! Quem tinha o cetro na mão?

Peço-lhes que recordem o que o princípio paternal representava na família de Nazaré e o que dissemos a esse respeito. Não vou repeti-lo. O pai é a autoridade paterna, primária; a mãe é a autoridade secundária, sustentada por ela,

O que significa autoridade paterna? Qual é a tarefa do pai? Ele deve educar os filhos, não somente concebê-los e alimenta-los. Deve estar no centro da educação. Escutem mais uma vez: Educação! Em alemão a palavra (erziehen=educar) tem um som muito belo. O pai deve, sim, conceber e alimentar, mas também deve educar e estar no centro. Assim é a família de Nazaré.

Ao pai cabe educar:

1. à obediência e

2. à ousadia e ao desenvolvimento das forças.

Trecho do Livro: Família Serviço da Vida – Pe. José Kentenich

 


Em sua exortação apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia, o Papa Francisco faz referências à Sagrada Família de Nazaré como exemplo para as famílias de hoje e termina este documento com uma oração especial dedicada a Jesus, Maria e José.

Em seu parágrafo 66, ao citar as palavras de Paulo VI na Alocução em Nazaré em 5 de janeiro de 1964, Francisco recorda que “a aliança de amor e fidelidade, vivida pela Sagrada Família de Nazaré, ilumina o princípio que dá forma a cada família e a torna capaz de enfrentar melhor as vicissitudes da vida e da história”.

“Sobre este fundamento – continua –, cada família, mesmo na sua fragilidade, pode tornar-se uma luz na escuridão do mundo. ‘Aqui se aprende (…) uma lição de vida familiar. Que Nazaré nos ensine o que é a família, a sua comunhão de amor, a sua austera e simples beleza, o seu carácter sagrado e inviolável; aprendamos de Nazaré como é preciosa e insubstituível a educação familiar e como é fundamental e incomparável a sua função no plano social’”.

A seguir, confira a oração do Papa Francisco à Sagrada Família:

Jesus, Maria e José,
em Vós contemplamos
o esplendor do verdadeiro amor,
confiantes, a Vós nos consagramos.

Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
autênticas escolas do Evangelho
e pequenas igrejas domésticas.

Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais haja nas famílias
episódios de violência, de fechamento e divisão;
e quem tiver sido ferido ou escandalizado
seja rapidamente consolado e curado.

Sagrada Família de Nazaré,
fazei que todos nos tornemos conscientes
do carácter sagrado e inviolável da família,
da sua beleza no projeto de Deus.

Jesus, Maria e José,
ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.
Amém.

By |2020-12-26T14:10:14-03:0026/12/2020|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X