Papa anuncia o Ano “Família Amoris laetitia”

No Angelus deste domingo, 27 de dezembro, dia em que a Igreja celebra a Sagrada Família, o Papa Francisco anunciou a convocação de um “Ano especial dedicado à Família Amoris laetitia”, que será inaugurado em 19 de março de 2021, dia de São José e quinto aniversário de publicação desta Exortação Apostólica. O encerramento está marcado para junho de 2022. Será “um ano de reflexão” e uma oportunidade para “aprofundar os conteúdos do documento”:

“Essas reflexões serão colocados à disposição das comunidades eclesiais e das famílias para acompanhá-las em seu caminho. Desde agora, convido todos a aderirem às iniciativas que serão promovidas ao longo do ano e que serão coordenadas pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. Confiemos à Sagrada Família de Nazaré, em particular à São José, esposo e pai solícito, este caminho com as famílias de todo o mundo”, disse o Papa

Por que um ano “Família Amoris Laetitia”?

Segundo o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, o objetivo é oferecer à Igreja oportunidades de reflexão e estudo para viver concretamente a riqueza da exortação apostólica Amoris Laetitia.

A experiência da pandemia pôs em evidência o papel central da família como Igreja doméstica e a importância dos laços comunitários entre elas, que fazem da Igreja uma autêntica “família de famílias” (AL 87).

Esta merece um ano de celebrações, para que seja colocada no centro da solicitude pastoral e da atenção de cada realidade pastoral e eclesial. O Ano “Família Amoris Laetitia” é uma iniciativa do Papa Francisco, que pretende chegar a todas as famílias do mundo por meio de várias propostas de caráter espiritual, pastoral e cultural, a serem realizadas nas paróquias, dioceses, universidades, no contexto dos movimentos eclesiais e das associações familiares.

Quais são os objetivos deste ano especial?

O Dicastério concentra os objetivos em cinco pontos:

1. Difundir o conteúdo da exortação apostólica “Amoris Laetitia”, para fazer as pessoas experimentarem “que o Evangelho da família é alegria que enche o coração e a vida inteira” (AL 200). Uma família que descobre e experimenta a alegria de ter um dom e de ser um dom para a Igreja e para a sociedade, «pode tornar-se uma luz na escuridão do mundo» (AL 66). E o mundo hoje precisa dessa luz!

2. Anunciar que o sacramento do matrimônio é uma dádiva e tem em si um poder transformador do amor humano. Para isso é necessário que os pastores e as famílias caminhem juntos na corresponsabilidade e complementaridade pastoral, entre as diferentes vocações na Igreja (cf. AL 203).

3. Tornar as famílias protagonistas da pastoral familiar. Para tanto, é necessário “um esforço evangelizador e catequético dirigido à família” (AL 200), pois uma família discípula torna-se também família missionária.

4. Conscientizar os jovens sobre a importância da formação à verdade do amor e ao dom de si, com iniciativas a eles dedicadas.

5. Alargar o olhar e a ação da pastoral familiar para que se torne transversal, de modo a incluir os cônjuges, os filhos, os jovens, os idosos e as situações de fragilidade familiar.

Fique por dentro

Ao longo do ano, várias iniciativas serão desenvolvidas na Igreja e muitos materiais serão disponibilizados. Para estar sempre informado, acesse o site oficial: clique aqui.

Com informações de vaticannews.va/pt e laityfamilylife.va

Fonte: Schoenstatt.org

By |2020-12-28T14:29:47-03:0028/12/2020|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X