Schoenstatt - Santuário Tabor da Esperança

(61) 3302-2103

(61) 99828-9800

contato@schoenstattbrasilia.org.br

Notícias gerais › 10/05/2020

No silencio do coração, o olhar se volta em direção ao céu

Neste Dia das Mães, 10 de maio de 2020, vivenciamos um cenário diferente.

Nos anos anteriores, as experiências foram exclusivamente pessoais. Nos dias de hoje, sentimos que, além de vivências só nossas, estamos unidas a sentimentos comuns de outras mães, que, em meio a uma avalanche de incertezas e indeterminações, recorrem ao dom divino da maternidade para guiar seus passos, segurar suas emoções, conquistar
segurança diante de tanta desproteção, que a pandemia do coronavírus nos submete.

Deus, com um olhar especial sobre a mulher, nos concede o mistério de gerar. Somos chamadas a participar do projeto criador de Deus. Somos também escolhidas para revelar o amor de Deus aos nossos filhos, para que eles possam, por vínculos profundos que nos une ao Pai, sentir-se amados e queridos.

E, diante do momento tão difícil em que vivemos, nosso coração materno se une ao Pai na certeza de que essa união é o meio mais certo para passarmos por essa crise com
firmeza, domínio e confiança. Ao nos aproximar mais e mais de Deus, queremos levar nossos filhos a percorrer o mesmo  caminho.

Tudo aquilo que vem do alto controla nossas emoções, orienta os nossos sentimentos, dá respostas exatas às nossas indagações, guia nossas ações e nos orienta para atitudes sábias eficazes.

Deus Pai nos fala por meio de sua Providência, ele nos orienta a como conduzir nossos filhos neste tempo difícil. Seja criança, adolescente ou adulto, nossos filhos necessitam sentir o amparo divino, por meio de nós, para que sejam preservados de forma física, emocional e espiritual.
O Espírito Santo nos auxilia nessa tarefa materna. Os seus dons nos tornam dóceis para obedecermos às inspirações divinas em nossa trajetória. O estar atentas para direcionar o nosso dia a dia sob a luz do Espirito santificador leva-nos a completar e aperfeiçoar as nossas virtudes maternais.

Com os dons da ciência e do entendimento, penetramos na realidade deste mundo guiadas pela luz de Deus e assim podemos entender com mais clareza tudo que nos rodeia e nos
põe em perigo neste momento.

O dom da sabedoria e do conselho nos revelam a grandeza do plano do Criador, a sua
onipotência e também permite que tomemos decisões oportunas nestas horas difíceis, dando-nos coragem.

Neste tempo de pandemia, o dom da piedade orienta nossas relações com Deus e com o próximo, principalmente na convivência com nossos filhos.

O dom da fortaleza e do temor a Deus nos dá força para a fidelidade à vida cristã, neste
tempo de dificuldades, e faz crescer o nosso amor de filho ao Pai, tornando-nos humildes, conhecedores de nossas limitações e misérias, prontos a combater os impulsos desordenados de nosso coração, para não ofendermos a Deus.

Maria, a nossa Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, com seu exemplo e prontidão, nos convida a perseverar na oração e a buscar o Espírito Santo. Como em Pentecostes, ela nos anima a vencer os temores e nos impulsiona a testemunhar Cristo ressuscitado no mundo, a começar por nossos filhos.

Expressar o amor materno nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso devemos contemplar a figura materna de Maria, para que possamos aprender com ela o exercício da maternidade. É na grandeza de seu Fiat que podemos entender a dimensão espiritual da maternidade em nossas vidas. O sim de Maria foi decisivo para a história da salvação. Da mesma forma que a adesão de Maria à maternidade mudou todo o curso da história, também, cada uma de nós, quando nos abrimos à maternidade, reproduzimos novamente o projeto amoroso de Deus no mundo e nos comprometemos a educar e conduzir nossos filhos no caminho da santidade.

Neste período de dificuldades causadas pela pandemia, as reflexões oriundas do silêncio de nossos corações nos levam a erguer os olhos ao céu e a suplicar capacidade e sensibilidade para ouvir as moções do Espírito a nos orientar na direção de nossos filhos.

Neste pálido Dia das Mães, em meio aos diversos sofrimentos que tantas mães enfrentam, enchemo-nos de alegria, de luz, e, com confiança, entreguemos à Mãe de Deus os nossos filhos, para que ela, com todo seu cuidado peculiar, os acolha e os direcione,
principalmente onde não podemos estar, a fim de que eles sintam sempre o abraço e o aconchego maternal.

Maura Regina Santana de Jesus

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X