Lafs Brasil: 50 anos de história

 

Final de semana Jubilar contou com celebrações de Norte a Sul

Equipe de Comunicação Lafs – No dia 18 de julho, a Liga Apostólica Feminina de Schoenstatt (Lafs) celebrou os 50 anos de sua fundação no Brasil. Unidas virtualmente ou presencialmente, as liguistas contaram com programação especial para o final de semana. No sábado (17/7), a Lafs Brasil rezou junta o terço (leia aqui a matéria). Já os regionais Sul e Nordeste se reuniram durante todo o final de semana para um encontro jubilar, no qual renovaram a coroação da Mãe de Deus feita pelo ramo em 1974. No domingo (18/7), dia jubilar, foi a vez de uma grande rede de Santuários registrar suas celebrações. Em Londrina/PR, cidade berço da Lafs, a missa jubilar oficial ocorreu às 18 horas.

Sul e Nordeste: renovando a coroação

Os regionais Sul e Nordeste tiveram um final de semana ainda mais especial, com atividades presenciais e virtuais. Após participarem do terço, junto à Lafs de todo o Brasil, foi a vez de realizarem a vivência jubilar, celebrando os 50 anos de graças. Nessa ocasião elas renovaram a coroação realizada pelo ramo em 1974. Naquele ano, a Lafs realizou em Santa Maria/RS o II Encontro Nacional e, em 17 de novembro, foi ofertada solenemente a coroa à Mãe de Deus. A coroação foi realizada à luz do lema: “Filha heroica, na luz da fé coroa a vencedora!”. A imagem coroada se encontra até hoje em Santa Maria/RS.

 

Santa Maria/RS

 

Missas Jubilares por todo o país

Celebrar os 50 anos em meio à pandemia foi um grande desafio, mas também a oportunidade de ampliar ainda mais os festejos com as transmissões online. E a programação não foi pouca! Houve celebrações nos Santuários de Araraquara/SP, Atibaia/SP, Brasília/DF, Confins/MG (com direito a Aliança de Amor de quatro liguistas), Cornélio Procópio/PR, Curitiba/PR, Garanhuns/PE, Guarapuava/PR, Jacarezinho/PR, Jaraguá – São Paulo/SPLondrina/PRSanta Maria/RS e Vila Mariana – São Paulo/SP, além de missas de ação de graças em Piracicaba e Santa Bárbara D’Oeste/SP.

O Santuário Tabor Esmagadora da Serpente, em Londrina/PR, foi o grande anfitrião da Missa Jubilar oficial do ramo. Portanto, quem não teve celebração em seu Santuário pôde acompanhar direto de lá a celebração. E a festa foi dupla: além dos 50 anos da Lafs, a missa deste 18 de julho marcou também os 25 anos de vida sacerdotal do Pe. Carlos Shimura.

 

 

Protagonistas da história

A Lafs vem, ao longo desses 50 anos, lutando para manter sua principal característica: ser o braço apostólico de Schoenstatt, seja pela atuação nas paróquias, nos Santuários, no ambiente profissional ou também pelo apostolado do ser.

“A Lafs me trouxe uma consciência maior como mulher cristã. Essa consciência de ser mais Maria em cada lugar em que estiver, seja em casa, na família ou no trabalho. Fez-me viver e querer estar mais empenhada no meu autoconhecimento e na vontade de levar Maria aos outros”, conta Aguida Maria Lopes Magalhães, de Olinda/PE. Já Eneide de Souza Franco, também liguista de Olinda, diz “através da Lafs pude conhecer a história da Mãe e Rainha, aprender sobre as graças do Santuário e o Capital de Graças”.

 

Olinda/PE

Magda Lúcia Caldeira Navarro, de Poços de Caldas/MG, conta sua experiência no ramo “estou em Schoenstatt desde 1990. Com a Lafs aprendi a amar o Movimento, então comecei a me introduzir no mundo maravilhoso do ideal de ser um Tabernáculo Vivo do Altíssimo. Não consigo imaginar minha vida sem meu total ‘sim’ ao Santuário. Eu vivo e morro pela Mãe de Deus e sua Obra”.

A liguista Carla Bianchetti, que selou sua Aliança neste dia 18, junto ao Santuário Tabor da Liberdade, em Confins/MG, partilha “a partir de hoje somos uma única família. Que possamos ser raios de luz e esperança para outras mulheres. Que sejamos fiéis à nossa Aliança”.

 

Frederico Westphalen/RS

Natália Kist, de Frederico Westphalen/RS, comentou sobre o final de semana de encontro e o sentimento de pertença ao ramo “para mim participar do encontro foi uma reafirmação daquilo que venho procurando dentro do Movimento há muito tempo e que ao final resumimos todas juntas como acolhida. Senti que dentro de cada ramo existe espaço para todo mundo, em todas as fases de nossas vidas, e que podemos (e devemos) evoluir enquanto mulheres na sociedade mas também como grupo, verdadeira equipe umas para as outras, independente do momento e situação que estamos ao trilhar os nossos caminhos. Mesmo com as dificuldades, entregar e confiar cegamente à Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt sempre será o melhor, e para mim, único caminho certo”.

Ana Becker, de Curitiba/PR, que pertence à geração fundadora, encerra dizendo: “Começamos, em cinco mulheres, a Lafs no Brasil. É uma grande alegria poder comemorar o Jubileu de Ouro da Lafs, hoje. Não imaginava que viveria tanto para participar desse grande momento. Só agradecer nossa Mãe Três Vezes Admirável por esta benção e por este Jubileu, que muito mais anos venham para as liguistas”.

Confins/MG

Mais fotos

⇒ Saiba mais sobre a Liga Apostólica Feminina de Schoenstatt (Lafs)

By |2021-07-19T13:53:45-03:0019/07/2021|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X