Schoenstatt - Santuário Tabor da Esperança

(61) 3302-2103

(61) 99828-9800

contato@schoenstattbrasilia.org.br

Notícias gerais › 06/02/2019

Há 126 anos nascia a Irmã M. Emilie Engel…

O Pai e Fundador, Padre José Kentenich disse de Ir. Emilie:

“Ir. Emilie foi uma filha da Divina Providência dos pés à cabeça.” 

Irmã M. Emilie Engel nasceu no dia 6 de Fevereiro de 1893, em Husten, Kreiss Alpe, Alemanha. Ela participou na primeira jornada de mulheres em Schoenstatt, no ano de 1921. Anos depois, Emilie decide abandonar a sua profissão de professora e coloca-se a serviço da nova fundação da comunidade das Irmãs de Maria de Schoenstatt.

Padre Kentenich precisa dela para o início desta comunidade, pois a conhece desde 1921 e estima suas capacidades intelectuais, seu pensar objetivo, a transparência do seu caráter e as forças do seu coração. Conhece a sua aspiração e os seus esforços no enobrecimento de sua natureza. Entre outros, aprecia sua energia na aspiração ao mais alto: à santidade. Padre Kentenich precisa de tais pessoas para a fundação da nova comunidade. Está convencido de que nela há de tornar-se um modelo do “novo homem”, que Deus deseja oferecer à Igreja e ao mundo pela espiritualidade e pedagogia de Schoenstatt.

Em 1926 Padre Kentenich confia a Irmã Emilie uma parte decisiva de seus cuidados e sua responsabilidade pelo surgimento da comunidade das Irmãs de Maria de Schoenstatt. Irmã Emilie faz parte da geração fundadora e tem a tarefa de impregnar a jovem comunidade das linhas formais e estruturais em dependência de um trabalho em conjunto com o Fundador.

Emilia regando as plantas no túmulo da Ir. M. Emile

De 1941 a 1946, viveu na Casa Geral, em Schoenstatt, e de 1946 a 1955 ocupou o cargo de Superiora Provincial das Irmãs, em Metternich. Sofrendo de paralisia desde 1953, pouco a pouco foi-se confinando a uma cadeira de rodas, até à sua morte, na Casa Provincial, em Metternich, Alemanha, no dia 20 de Novembro de 1955.

“Irmã Emilie não chegou a escrever sua autobiografia porque a sua vida é como a “história de uma mala”. Deus foi retirando pouco a pouco coisas da sua mala. Uma costela, um pedaço do pulmão. Como me senti pequena diante de tanta grandeza, diante de tanto sofrimento e tudo ofertava à Deus e por amor à Jesus” . (Emilia S. T. Kay – Liga de Mães)

Luana Cardoso – Jufem Brasília

Admira-me, também, o quanto ela permaneceu fiel a seu SIM filial mesmo com tanto sofrimento. Algumas vezes questionei os caminhos e obstáculos da vida, mas a Irmã Emilie me ajudou a enxergar que Deus é sempre amor e me ensinou a considerar as dificuldades do dia a dia como tarefas, não fugindo delas, mas crescendo e amadurecendo, confiando no plano de amor celeste. Pouco a pouco fui parando de me sentir desanimada e passei a experimentar um abrigo no coração de Deus Pai, com todas as alegrias e dificuldades que Ele envia. E, quando as preocupações começam a voltar, entrego a ela e peço que me ajude a reconquistar a tranquilidade interior e confiança na Divina Providencia.” (Luana Cardoso – Jufem Brasília).

“Sempre admirei a vida heroica de  santidade de Ir. M. Emilie Engel. Em cada acontecimento ela procurava  reconhecer  o  Deus da vida pela fé na Divina Providencia. Nas dificuldades, nos medos e incertezas confiava na Mãe de Deus e tudo colocava como dádiva para o capital de graças. Gostava de usar a imagem da mala onde tudo depositava espiritualmente , colocando ao dispor da Mãe de Deus . Ela nos ensina a embarcarmos no   “trem expresso da providencia” e assim descobrir e realizar a vontade amorosa de Deus Pai.” (Ir. M.Credileide Matias – Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt)

 ”Desejo que todos os dias experimentes profundamente o amor paternal de Deus e o amor maternal de Maria” (Ir.M Emilie Engel)

Venerável Serva de Deus, Irmã M. Emilie Engel, intercedei por nós!

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X