Dia da Mulher – pequena Maria na família

Hoje com muito carinho e alegria celebramos o dia internacional da Mulher. Nesse dia especial escolhemos algumas mulheres schoenstattianas, e fizemos duas perguntas sobre o Ano da Família e o Ano São José:

 

Sendo Mulher Schoenstateana, como posso contribuir para que  minha família se torne cada vez mais a alegria no amor?

Amanda Araújo:  Como mulher schoenstattiana, posso contribuir servindo com pequenos gestos e tarefas de amor no dia a dia; cultivando a alegria, a harmonia, a união e tornando a convivência dentro de casa mais leve e agradável. Sabendo acolher, compreender, oferecer ajuda e principalmente amar, mesmo com as diferenças e contrariedades. Também buscando a santidade, a oração constante, testemunhando o amor de Cristo e sendo um verdadeiro reflexo de Maria, que, pelo meu ser, atrai e eleva ao alto tudo ao meu redor.

Maria Eduarda Delgado Fregonesi: Como mulher schoenstattiana posso contribuir em minha família a força do amor e da alegria renovando minha aliança de amor com a Mãe, como filha. Levando a essência feminina assim como Maria. Como membro da Juventude feminina de Schoenstatt –Jufem, ser espelho da Mãe de Deus, levando a luz para o mundo Tabor. Buscando a santidade todos os dias sendo profundamente grata pelo dom da vida, colocando-me em oração, reconhecendo todas as falhas, sendo assim uma pessoa melhor, só assim alcançaremos a alegria e o amor na família

Rinara Sabrina: Na Aliança de Amor, aprendemos a nos desprendermos dos nossos interesses e a nos dedicarmos aos interesses de Maria. Sabemos que essa troca muitas vezes é difícil, pois nossa humanidade nos atrai ao apego e ao controle de tudo. Só que, ao nos autoeducarmos pelo amor e pela caridade e por essa troca constante com a MTA, vamos seguindo o caminho proposto por Ela. Esse “colocar na frente” o interesse de Maria nos ensina a servir, também quem vive conosco, com liberdade e amor, trazendo-nos leveza e alegria, quando proporcionamos, primeiro aos de casa, nossa entrega desinteressada. Assim, esse exemplo faz com que os que são servidos queiram servir e implantamos a verdadeira Igreja doméstica.

Cláudia Regina: Como mulher schoenstattiana, aprendi muito com o nosso Fundador Pe. José Kentenich que devemos ser mais observadoras, estar mais atentas para que as pessoas que amamos se sintam alegres perto de nós. Fazer uma comidinha gostosa, uma flor, um cartãozinho, reservar um dia da semana para estarmos juntos. Isso é amor!

Abadia Tomé: Como mulher schoenstattiana, posso sim, contribuir. Deixando que minha família sinta minha alegria e amor, por tê-los! Gratidão! Como esposa e mãe, que acolhe, que cuida, que apoia, traz harmonia, que luta e defende, sem perder o equilíbrio. Schoenstatt, nos dá essa oportunidade de entendimento… Entender o plano de Deus, para nossa família, é também viver a alegria no Amor. Minha família, minha missão!

Lúcia Silva: Como mulher schoenstattiana, posso contribuir para que a minha família testemunhe a paz, o amor e o perdão.

Silvia Andrade: A através das experiências adquirida ao longo da caminhada pude me tornar uma pessoa mais paciente e amorosa trazendo mais alegria a minha família.  Procurando viver as virtudes de Maria.

 


Qual a virtude de São José desejo cultivar na minha família?

Amanda Araújo: As virtudes de São José que desejo cultivar na minha família são as da fé e da fortaleza. Que  possamos crer sempre em Deus, ter a segurança nas dificuldades, firmeza e constância na procura do Bem, do Belo e do Verdadeiro.

Maria Eduarda Delgado Fregonesi : A virtude de São José que desejo cultivar em minha família, é a virtude do acolhimento da bondade, a virtude do amor ao próximo, e principalmente a Fé.

Rinara Sabrina: A pureza. Pureza no pensar, agir e sentir. Na certeza que como nas Bem Aventuranças veremos a Deus. “Bem aventurados os de coração puro, porque verão a Deus!” (Matheus 5, 8)

Cláudia Regina: A virtude de São José que desejo cultivar na minha família é o acolhimento. Saber aceitar o outro, escutar, dialogar sem exclusão e julgamento.

Abadia Tomé: A virtude de São José, que desejo para minha família é a CONFIANÇA

Lúcia Silva: A virtude de São José que desejo cultivar na minha família é a humanidade tão presente em seu ser.

Silvia Andrade: A virtude do discernimento e prudência, para sempre  fazer a vontade de Deus.

 

 

By |2021-03-08T10:35:02-03:0008/03/2021|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X