Celebração Jubilar de Dom Fernando Guimarães no Santuário Tabor da Esperança

O último domingo, dia 22 de agosto, foi dia de festa na Arquidiocese Militar do Brasil pela celebração do Jubileu de Ouro Sacerdotal do Arcebispo Dom Fernando Guimarães. A santa missa pelo aniversário de ordenação, realizado Na Casa da Mãe Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, foi presidida pelo jubilando e co-celebrada pelo Pe. Marcelo, Pe. Alexandre e pelo Pe. Paulo Cézar.

 A celebração em que comemoramos Jubilar de Ouro Sacerdotal de Dom Fernando Guimarães no Santuário da Mãe e Rainha foi marcado de muita alegria e gratidão pela entrega total a Deus e ao próximo. Na ocasião, o Arcebispo lembrou sua trajetória sacerdotal. “Ao olhar para trás nesses 50 anos, eu só posso dizer como Deus é fiel. O Senhor faz grandes coisas olhando a pequenez e fragilidade da pessoa humana. Maria olha para nós e diz: É Ele que está com você, é ele que vai dar força, é ele que vai fazer você permanecer fiel agora e na hora da morte.

No final da Santa Missa, em um gesto de confiança e entrega a Mãe e Deus, Dom Fernando Guimarães corou a imagem da Mãe Peregrina Auxiliar da Arquidiocese Militar.

Pastor zeloso, de caráter simples e um coração generoso, são 50 anos de uma vida inteiramente dedicada ao sacerdócio.

Breve Histórico

Dom Fernando José Monteiro Guimarães, nasceu aos 19 de julho de 1946, na cidade do Recife-PE, Arquidiocese de Olinda e Recife, filho de Antônio Monteiro Guimarães e Judith Bacelar Guimarães, já falecidos. Foi batizado na Igreja Matriz da Torre, no Recife, no dia 27 de Outubro de 1946. Frequentou o Seminário Menor dos Redentoristas em Garanhuns (1958-1961), continuando os estudos no Seminário Redentorista de Campina Grande (1962-1963).

Após o Noviciado, emitiu a Profissão religiosa na Congregação dos Redentoristas aos 25 de Janeiro de 1965, cursando em seguida a Filosofia e a Teologia no Seminário Maior Redentorista em Juiz de Fora, MG (1965-1969). Ordenou-se sacerdote no dia 15 de agosto de 1971, no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campos, RJ. De 1972 a 1980, trabalhou na Arquidiocese do Rio de Janeiro, como assessor do Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, membro do Colégio de Consultores e do Conselho Presbiteral da Arquidiocese.

Em 1980 foi chamado a Roma, onde desempenhou diversas funções na Santa Sé. Na Congregação para o Clero, a partir de 2000, exerceu o cargo de Chefe de Departamento, responsável pelo setor que se ocupa da vida e do ministério dos Sacerdotes no mundo. É Doutor em Teologia Moral pela Academia Alfonsiana, da Pontifícia Universidade do Latrão de Roma (1989), e Mestre em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz de Roma.

No dia 12 de março de 2008, foi nomeado pelo Papa Bento XVI Bispo Diocesano de Garanhuns-PE. A ordenação episcopal aconteceu em Roma, no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no dia 31 de março do mesmo ano. Tomou posse na Diocese no dia 1º de junho de 2008.

No dia 6 de agosto de 2014 foi nomeado pelo Papa Francisco como Arcebispo da Arquidiocese Militar do Brasil. Tomou posse como Arcebispo Militar em 7 de outubro de 2014, em Brasília – DF.

LEMA: “COR NOSTRUM ARDENS

O lema por ele escolhido foi tirado do Evangelho de Lucas, que descreve o encontro de dois discípulos com o Ressuscitado, no caminho de Emaús. Após ter Jesus se revelado na partilha da Palavra e na fração do Pão, os discípulos se interrogaram e constataram que seu coração ardia pelo caminho enquanto ele conversava conosco (nonne cor nostrum ardens erat in nobis, dum loqueretur nobis…Lc 24, 32). A escolha destas palavras identifica a experiência pascal que o Bispo é chamado a viver como pastor: caminhar com a sua Igreja, partilhando a Palavra e repartindo a Eucaristia, revelando a presença do Cristo ressuscitado, que percorre conosco as estradas da vida, até o Emaús do céu. O coração da Igreja deve arder, porque Ele caminha conosco!

VEJA MAIS FOTOS PELO FLICK

 

By |2021-08-26T10:13:07-03:0026/08/2021|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X