Catequistas com a Mãe Peregrina

A Paróquia Santíssima Trindade a Capela de Todos os Santos da Ceilândia/DF, viveu um momento especial com a Mãe Peregrina durante a formação dos catequistas, nesse último domingo 29 de agosto. Uma formação com a Irmã Floriza sobre a importância da peregrinação da imagem da Mãe de Deus pela comunidade e sobre o Movimento Apostólico de Schoenstatt e seu Fundador, o Pe. José Kentenich. Cerca de 17 catequistas fizeram a formação e o envio das Imagens peregrinas na comunidade.

A Campanha da Mãe Peregrina Jovem quer conduzir a juventude a um encontro pessoal com Cristo, por intermédio de Maria. Este encontro os torna agentes evangelizadores no ambiente em que atuam. Ninguém melhor do que o próprio jovem para acertar a linguagem do anúncio do Evangelho para os outros jovens.

 

Ir contra a corrente: “Sim, jovens, ouvistes bem: ir contra a corrente. Isso fortalece o coração, já que “ir contra a corrente” requer coragem, e o Senhor nos dá essa coragem. Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam nos meter medo se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade d’Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida“. (Papa Francisco na Santa Missa dos crismandos em Roma – 28 de abril de 2013)

Pela Campanha da Mãe Peregrina Jovem podemos dar uma forte colaboração à Igreja, que considera a juventude seu rosto jovem. Como disse o Papa Bento XVI, “sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada.” (Bento XVI aos jovens no estádio do Pacaembu 10/05/2007)

Campanha da Mãe Peregrina (MODALIDADE – CATEQUESE)

  1. Primeiramente é necessário a autorização do Pároco, para que possa acompanhar o andamento da Campanha. Em cada nova lista é necessário conter o carimbo e a assinatura do Pároco, inclusive nas listas de atualizações e substituição de missionário.
  2. Cada sala de aula de catequese possui uma imagem as peregrina Infanto-juvenil.
  3. Um aluno torna-se missionário, conforme as orientações gerais.
  4. O catequista adulto que acompanhará o missionário. Este deve ser introduzido anteriormente neste trabalho de evangelização com os catequisandos.
  5. Cada criança fica com a imagem o tempo de intervalo de um encontro de catequese até o próximo, o que varia em cada paróquia, podendo ser até de uma semana.
  6. O número de crianças e adolescentes na lista corresponde ao número de catequisando da sala de aula, que aceitam receber a Peregrina. É preciso respeitar aquelas que não querem receber.
  7. O envio seja realizado na paróquia, se possível numa Missa correspondente, seguindo as orientações de envio.
  8. Estando na sala, a Mãe Peregrina recebe um lugar de honra e reza-se ao iniciar e ao terminar as aulas.
  9. Havendo mais que uma imagem, escolhe-se um adulto que atua na própria paróquia para ser coordenador desses missionários. Este atuará em conjunto com o coordenador de sua paróquia.

 

By |2021-08-31T10:10:44-03:0030/08/2021|Notícias Tabor da Esperança|0 Comments
X