Schoenstatt - Santuário Tabor da Esperança

(61) 3302-2103

(61) 99828-9800

contato@schoenstattbrasilia.org.br

Notícias gerais › 02/09/2019

Indulgência plenária no Ano Jubilar da Arquidiocese de Brasília

Estamos vivendo o ano Jubilar de 60 anos da nossa Arquidiocese de Brasília. Ao longo deste ano, é concedido aos fiéis indulgência plenária.

Mas você sabe ao certo o que é indulgência e como obter? Bem, vamos a explicação.

A palavra indulgência, segundo o dicionário Aurélio, vem do verbo indulgenciar; perdoar.

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina que “Pelas indulgências, os fiéis podem obter para si mesmos e também para as almas do Purgatório a remissão das penas temporais, consequências dos pecados” (CIC, §1498).

Para que possamos entender mais, o Papa Paulo VI (1963-1978), na Constituição Apostólica Doutrina das Indulgências (DI), fala com clareza toda a verdade sobre este assunto. Começa dizendo que:

“A doutrina e o uso das indulgências vigentes na Igreja Católica há vários séculos encontram sólido apoio na Revelação divina, a qual vindo dos Apóstolos “se desenvolve na Igreja sob a assistência do Espírito Santo”, enquanto a Igreja no decorrer dos séculos, tende para a plenitude da verdade divina, até que se cumpram nela as palavras de Deus (Dei Verbum, 8)” (DI, 1).

Assim, fica claro que as indulgências têm base sólida na doutrina católica (Revelação e Tradição) e, como disse Paulo VI, “se desenvolve na Igreja sob a inspiração do Espírito Santo”.

Todos que pecam, além do pecado tem a consequência do pecado. Entenda que, o pecado tem duas consequências: a culpa e a pena. A culpa é perdoada na Confissão; a pena, que é a desordem que o pecado provoca no pecador e nos outros, e que precisa ser reparado, é eliminada pela indulgência que pode ser plenária (total) ou parcial.

Fazendo uma analogia: Um indivíduo belisca o outro, em algum momento este individuo se arrepende de ter beliscado, mas não se sabe que consequência aquele beliscão teve na vida do outro, ou para os que rodeiam. A indulgência, por sua vez, apaga a “pena” do pecado. Apaga as “desordem” do pecado, as consequências.

 

Como ganhar a indulgência plenária:

De acordo com o Manual das Indulgências, para se ganhar uma indulgência plenária (uma vez por dia apenas), para si mesmo ou para as almas, deve-se fazer:

  1. a) Uma Confissão individual rejeitando todos os pecados (basta uma Confissão para várias indulgências);
  2. b) Receber a Sagrada Eucaristia (na Catedral de Brasília ou no Santuário Menino Jesus em Brazlândia para lucra a indulgência do Ano Jubilar);
  3. c) Rezar pelo Papa ao menos um Pai-nosso, uma Ave-Maria e a profissão de Fé.

Não é necessário que tudo seja feito no mesmo dia. Além disso, escolher uma dessas práticas:

1. Adoração ao Santíssimo Sacramento pelo menos por meia hora (concessão n. 3)
2.Leitura espiritual da Sagrada Escritura ao menos por meia hora (concessão n. 50);
3. Piedoso exercício da Via Sacra (concessão n. 63);
4. Recitação do Rosário de Nossa Senhora na igreja, no oratório ou na família ou na comunidade religiosa ou em piedosa associação (concessão n. 63).

E no caso da Indulgência Jubilar dos 60 anos da Arquidiocese de Brasília, a recitação da oração própria do Jubileu.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X